SEJAM BEM-VINDOS!

Este é um blog educativo. Minha intenção é postar meus projetos de literatura infantil, em verso e prosa, para ajudar pais e professores na educação de nossas crianças.



Todos os textos aqui publicados são de minha autoria e estão devidamente registrados no EDA da Biblioteca Nacional.



RESPEITEM OS DIREITOS AUTORAIS!



Já possuo dois livros publicados: o primeiro com o Patrocínio da Prefeitura de Juiz de Fora, intitulado "Os Sonhos da Favela",
é um paradidático pré-adolescente que aborda temas como violência, drogas, gravidez adolescente, oportunidades e decisões.e o segundo pela Editora Uirapuru, intitulado "As cores do Meu Brasil" é um livro infantil que conta a história da diversidade do nosso Brasil dando ênfase à cultura Afro-brasileira.

Saudações literárias.


Vera Ribeiro Guedes.





OS SONHOS DA FAVELA

OS SONHOS DA FAVELA
TRABALHO REALIZADO PELOS ALUNOS DA ESCOLA MUNICIPAL HENRIQUE JOSÉ DE SOUZA - JUIZ DE FORA - MG

AS CORES DO MEU BRASIL

AS CORES DO MEU BRASIL
Livro infantil de cultura afro-brasileira

sexta-feira, 5 de março de 2010

O VALOR DA AMIZADE

- Olá Janjão! Qual é a boa notícia? - perguntou Claudinho ao ver Janjão sorrindo de felicidade.
- É aniversário do meu irmão e vai haver uma linda festa lá em casa esta noite. - respondeu Janjão.
- Aniversário do Zequinha?
- Não, é aniversário do Pedrinho.
- Convida-me para a festa? - implorou Claudinho.
- Não posso. O aniversário é dele e não meu. - respondeu Janjão, indo embora.

Claudinho ficou zangado.
Todos foram convidados.
O que fizera de errado?

Logo o Pedrinho, que era seu melhor amigo!

E começou a pensar...
... Sempre convidei o Pedrinho para as minhas festas de aniversário. Por que será que ele não quis me convidar?

- Manuela, você foi convidada para a festa do Pedrinho?
- Fui sim, Claudinho. Vou colocar o meu vestido novo e já comprei até um presente. - respondeu Manuela toda contente.

- É isso!... Um presente!...

Claudinho pensou rápido. Foi até o armarinho do seu Zé e comprou um belo carrinho para o Pedrinho. Embrulhou com todo cuidado em um papel de seda azul, e deu um lindo laço vermelho.

Foi chegando devagarzinho e disse:
- Pedrinho! Soube que hoje é seu aniversário e vim lhe trazer um presente.
- Obrigado Claudinho! Não precisava se preocupar! - respondeu Pedrinho; porém, virou-lhe as costas e, não convidou-lhe para a festa.

E Claudinho ficou muito triste... E foi para casa.

À noite, pela janela de seu apartamento, viu todas as crianças da rua indo para a festa. De lá tudo via, pois, morava no 4o andar, e a festa era na casa ao lado.
Tinha bola, algodão-doce, pipoca, cachorro-quente, sem contar o mágico e os palhaços que alegravam a criançada.

De repente... A campainha tocou... Foi abrir a porta e para sua surpresa, quem estava lá?
Era o Pedrinho, que com um grande sorriso lhe perguntou:
- Claudinho, você não vai à minha festa?
- Como, se você não me convidou? - respondeu Claudinho, muito triste.

E Pedrinho disse a ele:
- Desculpe Claudinho! Pensei que você não precisasse de convite; afinal, você é meu melhor amigo e, amigo de verdade faz parte da vida da gente! Convite é para os de fora. Amigos de verdade já são o próprio presente!

E Claudinho entendeu o recado.
Já havia sido convidado,
Mesmo sem ter convite.
Pois, a sincera amizade,
Dispensa formalidades.
E, abraçado ao Pedrinho, foi feliz para a festa.

2 comentários:

  1. Lindo!!! Muito mesmo!!! Lindo e verdadeiro! Bjs

    ResponderExcluir
  2. São lindas as poesias,que Deus continue abençoando, e cada vez mais à capacitando com tanta sabedoria e inteligência, beijos

    ResponderExcluir